terça-feira, 8 de Novembro de 2011

Promoção da leitura vs prevenção do insucesso escolar

(imagem retirada da internet)

Especialista defende que promoção da leitura previne insucesso de crianças desfavorecidas 

A realização, no pré-escolar, de atividades que criem necessidade e vontade de ler, para prevenção do insucesso das crianças em famílias com baixas qualificações, é defendida por professora da ESEC. 

Ao realçar o papel do contexto familiar na promoção das "aprendizagens decisivas para a vida", Lucília Salgado, professora da Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC), afirma ser "importante dar às crianças, já no pré-escolar, aquilo que as famílias com literacia dão aos seus filhos". 

Em Portugal, "cerca de metade das crianças que entram no 2.º ciclo leem mal ou não compreendem o que leem. É importante que se recupere, já no pré-escolar, aquilo que elas não tiveram na família, desenvolvendo atividades que as levem a sentir necessidade e vontade de ler, que percebam como se escreve e como se organiza um texto", afirma a especialista. 

A ESEC inicia no sábado um ciclo de conferências sobre "Novas Alternativas Educativas para a Exclusão", sob a coordenação de Lucília Salgado, no âmbito da licenciatura em Animação Socioeducativa. 

Situações como "ver pessoas significativas a ler com empenho, o pai, a mãe ou os irmãos mais velhos a ler, a leitura de histórias em família, dialogar sobre o que se lê e idas a bibliotecas ou livrarias" são consideradas fundamentais para a criança adquirir o gosto pela leitura e, dessa forma, entrar no sucesso escolar. 

A primeira conferência incide na temática "Prevenir uma maior qualidade educativa desde a entrada para a escola: a criação de condições para a aprendizagem da leitura e da escrita em crianças de idade pré-escolar". 

A segunda conferência, no dia 12, abordará a "Educação familiar e formação de adultos para a criação de condições de uma boa inserção escolar", partindo de um estudo que indica que as famílias que participaram nas Novas Oportunidades de qualificação "passaram a valorizar mais a escola e a envolver-se mais na educação dos filhos". 

Apesar das Novas Oportunidades, "quase um milhão de portugueses continuam com baixas qualificações escolares e não leem, são pessoas em situação de pobreza e exclusão. E não é com estratégias de ler o 'bê-á-bá' que se altera a situação, mas com atividades que valorizem as pessoas e partam daquilo que elas sabem, que as levem a ter necessidade de ler", alerta. 

As "Competências de literacia para destinatários de baixas qualificações escolares (alfabetização de adultos)", "O Desenvolvimento Local enquanto estratégia contra a exclusão social. Criação de oportunidade de lazer assentes no património imaterial local" e "Promover o sucesso escolar em situações de educação prioritária: promoção e intervenção em contextos de risco" são os temas das restantes conferências, a decorrer até 15 de dezembro e organizadas pelo ESEC em parceria com o Instituto Humanus (IH). 

Créditos: Educare.pt 

MEIO CRESCENTE - Ideias em movimento!

Sem comentários:

Enviar um comentário